Braccia Rese


Piemonte

Numa zona que vive à sombra da aristocrática Langa, descobrimos em Outubro 2022 uma realidade humilde, entusiasta, solidária e consistente no projecto Braccia rese, nascido em 2020, que como o nome indica procura devolver novos braços à agricultura local que declinou no último século. Livio, Elia e Giovanni, todos com menos de 30 anos de idade, dedicam-se a valorizar os frutos autóctonos que o campo à volta da aldeia de Busca, nas colinas de Saluzzo na região de Cuneo, faz crescer, ao pé do Monviso. A produção declina sidras e vinhos, usando as variedades locais. Livio é formado em enologia, enquanto Elia mudou do mundo do design para a agricultura para encontrar um modo de vida mais enraizado e Giovanni, geometra de formação, quis manter a vinha familial juntando-se com os 2 amigos para iniciar a aventura. Para eles, a produção de vinhos e sidras é uma forma de dar visibilidade a um território esquecido a nível agrícola, onde a vinha existe desde os Romanos, como estabelecer relações humanas baseadas na paixão e na solidariedade local.
Cultivam 2 ha de vinhas onde privilegiam as uvas locais como o Quagliano, exclusivo desta zona, e o Neretto cuneese, usado historicamente em lotes, além de castas como a Barbera, Chatus e algumas filas de Merlot. Plantaram em 2022 a primeira uva branca, Baratuciat, proveniente de um amigo produtor na região piemontesa do Monferrato. Os vinhos produzidos partem da realidade camponesa local para exprimir a especificidade destas colinas, usando essencialmente cubas de cimento vitrificadas.

Vinhos:

“Pinq!” : Inédita interpretação do Quagliano, vinhedo autóctono, mais antigo da colina de San Martino, fermentação espontánea em vidroresina, maceração de 7 dias. Engarrafado na Primavera seguinte com mosto congelado para provocar a refermentação.

Barba : do nome Barba que significa o tio sábio no dialecto local. Vinho típico das colinas de Saluzzo, com um lote de Barbera e Chatus, também conhecida na zona como Nebbiolo Dronero. Co-fermentação dessas vinhas plantadas no princípio dos anos 1970’s. Estágio em cimento.

“Errante” : vinho solidário nascido da colaboração com a Caritas de Saluzzo, para apoiar os imigrantes da Africa subsahariana que vêm instalar-se na região e trabalham no campo. A variedade “Neretta Cuneese” refere a uma vide que “migra”, adapta-se e cresce no meio de outras variedades porque nunca foi valorizado por si só na zona por ser considerada inferior em termos de qualidade. Este vinho é o fruto da consciencia que o vinho, bem de luxo, não pode ser um fim por si mas deve ser também o veículo para ligar pessoas e transmitir mensagens de solidariede social e territorial.

A nossa selecção de vinhos

{{ item.gol_wine_card['type'] }}, {{ item.gol_wine_card['year'] }}

Comprar

Produto adicionado com sucesso.