Mateus Nicolau de Almeida


Douro

Vila Nova de Foz Côa

Mateus Nicolau de Almeida deixou em 2015 de liderar a produção dos vinhos Muxagat para criar um projecto pessoal centrado em Vila Nova de Foz Côa e concretizar o seu velho sonho de ser um homem das cavernas, produzindo vinhos de eremitas. Escavou a sua adega no xisto em frente da sua casa, equipou-a com cubas de cimento e algumas ousadias de granito imaginadas com o seu mentor arquitecto Pedro Jervell da Skrei e lançou-se a todo vapor na exploração das singularidades e nuances de cada sub-zona do Douro através dos vinhos Transdouro Express que declinam o Douro tinto nas suas versões Baixo Corgo, Cima Corgo e Douro Superior numa revelação dos climas distintos do Douro. As uvas são compradas a viticultores quem vem acompanhando ao longo dos anos e a composição das castas entre os 3 vinhos de 3 sub-regiões diferentes é semelhante de modo a não ser esse o factor decisivo, mas sim a localização geográfica de maior ou menos proximidade ao Atlântico. Quando abrandou e saiu das viagens sobrenaturais inter-Douro, isolou-se na caverna para fermentar ideias monásticas em branco que deram luz aos Eremitas brancos (Amon de Kelia, Paulo de Tebas e Antão do deserto), provenientes de algumas das vinhas que trabalhava já no tempo do “Muxagat” na zona de Muxagata e Vila Nova de Foz Côa, que são variações sobre a casta Rabigato conforme os solos, altitude e exposições.

Mateus distingue-se na sua região pela reflexão muito pessoal do Douro e os vinhos são a prova disso.

A nossa selecção de vinhos

{{ item.gol_wine_card['type'] }}, {{ item.gol_wine_card['year'] }}

Comprar

Produto adicionado com sucesso.